Notícias da Diocese

5 de fevereiro de 2014

Lançamento do Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2014

cf_2014_site

A coordenação diocesana da Campanha da Fraternidade – CF convida a todos para o lançamento do Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2014.

O evento será no dia 26 de fevereiro (4ª-feira), às 19h30 no teatro da UNIVAP (Praça Cândido Dias Castejón, 116 – Centro – SJC) com a presença e explanação do padre Antonio Carlos Frizzo, coordenador da CF no Regional Sul 1 (Estado de SP) da CNBB.

A CF 2014 traz como tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e o lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1).

Lançamento da CF 2014 na Diocese

Dia 26 de fevereiro (4ª-feira), às 19h30
Local: Teatro da UNIVAP (pça Cândido Dias Castejón, 116 – Centro – SJC)
Assessor: Padre Antônio Carlos Frizzo (coordenador da CF no Regional Sul 1 (Estado de SP) da CNBB)
Entrada franca.

O objetivo geral da Campanha da Fraternidade de 2014 é “identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-las como violação da dignidade e da liberdade humanas, mobilizando cristãos e pessoas de boa vontade para erradicar este mal com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus”.

Objetivos específicos:
– Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos sofridos por esta exploração;
– Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vitimas dessas práticas;
– Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador desta realidade aviltante da pessoa humana;
– Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano;
– Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania dos atingidos;
– Reivindicar, aos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção das pessoas atingidas pelo tráfico humano na vida familiar, eclesial e social;

cf2014

 

Entenda o significado do cartaz:

O cartaz da Campanha da Fraternidade quer refletir a crueldade do tráfico humano. As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente.

Essa situação rompe com o projeto de vida na liberdade e na paz e viola a dignidade e os direitos do ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus. A sombra na parte superior do cartaz expressa as violações do tráfico humano, que ferem a fraternidade e a solidariedade, que empobrecem e desumanizam a sociedade.

As correntes rompidas e envoltas em luz revigoram a vida sofrida das pessoas dominadas por esse crime e apontam para a esperança de libertação do tráfico humano. Essa esperança se nutre da entrega total de Jesus Cristo na cruz para vencer as situações de morte e conceder a liberdade a todos. “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1), especialmente os que sofrem com injustiças, como as presentes nas modalidades do tráfico humano, representadas pelas mãos na parte inferior.

A maioria das pessoas traficadas é pobre ou está em situação de grande vulnerabilidade. As redes criminosas do tráfico valem-se dessa condição, que facilita o aliciamento com enganosas promessas de vida mais digna. Uma vez nas mãos dos traficantes, mulheres, homens e crianças, adolescentes e jovens são explorados em atividades contra a própria vontade e por meios violentos. (Fonte: CF 2014).

 






AVC   Web Rádios

10 Comments


Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>